sexta-feira, 8 de maio de 2009

Mauro Grasso fecha com time feminino do São Caetano

Até a data desta entrevista Mauro Grasso ainda não tinha definido seu futuro. Esperava a definição do patrocinador Vivo em relação ao Minas Tênis Clube para saber onde iria trabalhar. Mas nesta sexta-feira, dia 08, Mauro Grasso fechou com o time feminino do São Caetano, que conta com Fofão, Mari e Sheilla. Fique ligado no Jornal de Esportes! Em breve mais informações sobre a transferência de Mauro Grasso para o São Caetano. Leia a reportagem abaixo sobre a carreira de Grasso e assista aos vídeos nos quais ele fala sobre a Superliga.
O técnico vice campeão da Superliga Masculina de Vôlei, Mauro Grasso, tem uma trajetória de sucesso no esporte. Enquanto atuava pelo Transbrasil, após sofrer com uma contusão no joelho, Mauro foi fazer a preparação física com a equipe feminina e foi convidado a ajudar no treinamento. Nesse momento, o jogador decidiu virar técnico. Após três anos como assistente técnico, Mauro assumiu a forte equipe do Sadia, com Ana Moser, Márcia Fú, Ida e Fernanda Venturini. Com esse time, Grasso foi pentacampeão paulista, tricampeão brasileiro e sul-americano e campeão mundial. Entre 1991 e 1996, Mauro Grasso trabalhou na Itália, onde nasceram os três filhos do treinador. Ele voltou ao Brasil por problemas pessoais e ficou dois anos trabalhando como técnico de laboratório e treinando as categorias de base do Clube de Regatas do Tietê, em São Paulo. Foi quando veio o convite do treinador Cacá Bizzochi para trabalhar no Banespa, onde ficou por nove temporadas. Hoje no Minas Tênis Clube, Grasso espera um dia, chegar à seleção Brasileira.

Mauro Grasso fechou com São Caetano nesta sexta-feira.
Desde 2006, Mauro está no Vivo/Minas, equipe pela qual chegou às últimas três finais da Superliga Masculina, todas contra o Cimed/Brasil Telecom. E, nesta temporada, pela terceira vez consecutiva o Vivo/Minas perde a final e fica em vice. Para Mauro, a derrota no primeiro set foi fundamental para a decisão da partida. “A final estava equilibrada até perdermos aquele primeiro set. O time se desconcentrou e sentiu a pressão da final. Jogamos três finais de turno contra a Cimed e perdemos duas. O psicológico pesou”, afirmou Grasso. A Superliga 2008/2009 acabou com o vice-campeonato do Vivo/Minas e as incertezas para a próxima temporada. Abaixo, Mauro Grasso fala sobre a Superliga de Vôlei Masculina 2008/2009 e sobre a final entre Vivo/Minas e Cimed/Brasil Telecom. Assista:

Apesar de não esconder a vontade de permanecer em Minas, Mauro Grasso afirma que ainda vai voltar a trabalhar na Itália. “Eu vou voltar, só não voltei ainda por causa dos filhos, que estão bem adaptados em Belo Horizonte”, afirma. “Mas pode ser que nesse primeiro momento eu vá sozinho e a família fique aqui”, completa Mauro. As negociações com a Vivo estão adiantadas, mas falta a decisão final que saíra em uma reunião no dia 20 de maio. “Eu não vou ficar esperando, se aparecer uma coisa melhor do que já está aparecendo tem a possibilidade de sair do Minas”, contou Grasso. No vídeo abaixo, Grasso fala com exclusividade ao Jornal de Esporte sobre seu futuro. Veja:

Entrevista concedida dia 30/04. Grasso fechou com o São Caetano dia 08/05.

Essa vontade de Mauro também é caracterizada pela crise que passa o vôlei brasileiro. Após a temporada, alguns patrocinadores deixaram os clubes, que passam por dificuldades para encontrar novos investimentos. Sem papas na língua, Mauro Grasso, afirma que a imprensa, em especial a TV Globo, foram fundamentais para afastar os patrocínios. “Não concordo com uma final num jogo só. Não dá tempo do time se recuperar, mas a Globo que manda e os patrocinadores concordaram”, afirma. Mauro Grasso fala no vídeo abaixo sobre o formato da Superliga e a questão de apenas um jogo na final. Assista:


4 comentários:

ivan junior disse...

Para os amantes do voleibol, não existe blog mais atual do que este. Pena que o Grasso deixou o Minas, tenho certeza que terá muito sucesso no feminino do São Caetano.

Parabéns pela atualização e notícias em primeira mão feitas por você.

Cézar Vouguinha Cunha disse...

Excelente profissional! Minas perderá um grande treinador! Espero que ele faça muito sucesso e que o Minas, mesmo sem ele, continue sua brilhante história no vôlei brasileiro!

Fábio disse...

muito bom o seu blog!

Beto Uchôa disse...

MOça sou muito desligado a esse esporte mas quando tem campeonatos eu sempre vejo.
Seu blog eh lindo, informativo parabens.