segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Altitude derruba invencibilidade do Brasil

A seleção brasileira perdeu para a Bolívia por 3.600 metros de altura, ontem, em La Paz, pela penúltima rodada das Eliminatórias da Copa. O placar ficou 2 a 1 para os bolivianos, mas o que derrubou os brasileiros mesmo foi a dificuldade de jogar na altitude. Sem a preparação adequada, os jogadores sentiram a diferença e custaram a se encontrar em campo. Olivares e Marcelo Moreno marcaram para a Bolívia e Nilmar só descontou no segundo tempo. O Brasil não perdia desde junho de 2008, há 19 jogos. O técnico Dunga aproveitou o jogo para testar algumas peças novas e poupar os titulares Kaká, Luis Fabiano e Gilberto Silva.


Olivares (número 8) marcou o primeiro gol da Bolívia.

O Brasil, já classificado, continua líder do grupo com 33 pontos, mesmo número do Paraguai, que perde no saldo de gols. A Bolívia já esta eliminada, mas subiu para o penúltimo lugar com a vitória. A partida contra a Bolívia foi importante para quatro jogadores em especial. Adriano, Diego Tardelli, Diego Souza e Alex jogaram com o objetivo de impressionar Dunga e conseguir uma das vagas que restam para a Copa do Mundo. O atacante Nilmar, praticamente carimbou o passaporte no último jogo, quando marcou três vezes. Mas, nenhum dos quatro apresentou um grande futebol e vão precisar mostrar mais serviço no jogo contra a Venezuela, nesta quarta-feira, em Campo Grande.



Julio César ficou parado na cobrança de falta do segundo gol da Bolívia.

Os bolivianos surpreenderam o Brasil nos primeiros minutos de jogo, chegando com perigo algumas vezes. Acostumados com a altitude, eles jogavam ofensivamente, aproveitando a dificuldade dos brasileiros. O gol veio com nove minutos, após escanteio e a cabeçada do Olivares. Julio César saiu errado e a bola sobrou livre para o atacante. O melhor goleiro do mundo também falhou no segundo gol. Quando a seleção começou a melhorar, a Bolívia aumentou numa cobrança de falta. O ex-cruzeirense Marcelo Moreno acertou um belo chute e Julio César nem pulou. No primeiro tempo foi a chance de Adriano e Diego Souza. Os dois não tiveram boas atuações, resultado dos problemas para jogar dos brasileiros.


Maicon, Ramires e Nilmar comemoram o gol brasileiro.

No segundo tempo os dois saíram para a entrada de Tardelli e Alex, respectivamente. Adriano saiu machucado, com um corte no tornozelo. O Brasil melhorou pouco, com mais movimentação de bola e rapidez no ataque. O gol saiu no contra-ataque, na única vez que o lateral Maicon subiu para a área adversária. Após roubar a bola na defesa, Maicon tocou para Diego Tardelli que rapidamente lançou Ramires. Rápido, o volante tocou para Maicon cruzar na área e Nilmar marcar de cabeça. O gol animou a seleção, que tentou chegar ao empate. Mas a Bolívia segurou o resultado, e cansados, os brasileiros não conseguiram.

5 comentários:

Lay disse...

Não sou muito fã de futebol, mas seu blog está bem organizado, ficou muito bom, parabéns!

André Luis P. Neiva disse...

É verdade, perdemos para altitude, isso é desumano e a FIFA deve acabar com isso já.
blog esta legal.

Cão Pelado disse...

Pra mim é altitude não...pra mim foi incompetência mesmo...mas sempre tem q se achar um culpado...e o pior, a mídia vende e o povo ainda compra a desculpa...

Brasil em 1997 foi campeão da América na altitude da mesma La Paz, vários times já jogaram na altitude e mtos venceram...a Bolívia por exemplo nessa eliminatória jogou 17 jogos, foi apenas a 4ª vitória...cadê a altitude aí? rs

Passa lá e comenta tb:
http://caopelado.blogspot.com/

Jonathan Rodrigues Ferreira disse...

Não sou muito fã de futebol, mas seu blog está bem organizado, ficou muito bom, parabéns! [2]

Mano Castanho disse...

Ana Paula, eu não jogaria a culpa só na altitude. É verdade que ela interfere, basta ver o que disseram os jogadores depois do jogo (Nilmar, Maicon, Daniel Alves, etc); mas também é verdade que o meio-campo não prestou e sem isso é difícil organizar o jogo.

Escrevi um post longo no meu blog (http://manocastanho.blogspot.com) falando sobre esta questão da altitude. Na Granja Comary todo mundo falou que tinha que chutar de longe, e no jogo só quem fez isso foi o Daniel Alves.

Falta no Brasil conhecimento e adaptação. E quando eu digo adaptação, não me refiro necessariamente à aclimatação e sim a adaptar a forma de jogar, fazendo o time ser mais compacto e chutando mais de longe mesmo.

Grande abraço, parabéns pelo blog.